A história que conheci pelas páginas da vida

Thalyta Maciel, membro do GULA, apresentou no dia 19 de maio de 2016 o TCC com o tema Consumindo memórias, degustando saudades: a saudade nos relatos alimentares de idosos institucionalizados. O TCC, que tinha como objetivo dialogar com os relatos da saudade presente nas narrativas alimentares de idosos institucionalizados, foi desenvolvido com idosos residentes do asilo Lar dos Mestres da vida, localizado no município de Caraúbas-RN.

Alguns recortes, vivências e encontros que aconteceram durante esse processo, e que estavam além para o escopo da monografia, foram relatados por ela aqui: a história que conheci pelas páginas da vida.

O texto é belíssimo. Nele temos a oportunidade de tatear um pouco do envolvimento da autora com os idosos, que fizeram parte desse momento de sua trajetória acadêmica. A sensibilidade do trabalho é tocante.

Parabéns Thalyta. E que todos nós possamos aprender um pouco com você. Que nada macule essa importância que você confere ao pequeno, ao cotidiano, ao silêncio, enfim, aos desimportantes da cultura.

Boa leitura a todos.

Ontem aconteceu a 5a edição do Ciclo de Debates

Ontem, na UFCG, campus Cuité, uma flor furou o asfalto, o tédio, o nojo e o ódio. Assim como a flor drummoniana, de A flor e a náusea, ela, para nascer, iludiu a correria, a desesperança e, por um momento, fez todos sonharem.

 

Estamos falando da 5a edição do Ciclo de Debates que teve como tema Literatura e alimentação: o sabor das palavras.

 

IMG_6261.JPG

 

Sob o olhar de Rejane Pinheiro, professora da UVA, mestre cozinheira de palavras, pudemos ser levados a usar nossos sentidos para provar da literatura comestível  de Cora Coralina, Adélia Prado, Bartolomeu Campos de Queirós, Carlos Drummond de Andrade, Rubem Braga e Clarice Lispector.

Queremos nesta oportunidade agradecer à professora Rejane por ter permitido essa flor nascer entre nós. Queremos ainda agradecer às cerca de 40 pessoas que silenciosamente admiraram ver a beleza desta flor que abria o asfalto. E que, no final, todos com seus pequenos versos também a saudaram. Foi um momento inesquecível nos banquetear entre comidas e palavras, entre sabores e saberes.

A literatura pode nos estender a mão quando estamos profundamente deprimidos, nos conduzir em direção dos outros seres humanos à nossa volta, nos fazer compreender melhor o mundo e nos ajudar a viver. […] e se, agora, eu me pergunto sobre o motivo do meu amor pela literatura, respondo prontamente: a literatura me ajuda a viver. Tzvetan Todorov.

A 6a edição do projeto, que ocorrerá a princípios de julho terá como tema Alimentação e ética. Em breve, forneceremos mais informações.

 

 

Passagem do professor Jesús Contreras pelo Brasil

Olá, pessoal!

Nesta última semana estivemos envolvidos com as atividades da conferência e do curso do professor Jesús Contreras, Universidade de Barcelona. Os eventos partiram de uma iniciativa do G.U.L.A, ligado ao Núcleo Penso (UFCG), em parceria com a FACISA (UFRN).

 

A conferência sob o título Outras maneiras de comer: perspectivas contemporâneas contou com uma assistência estimada de 180 pessoas, dentre eles: alunos de graduação, professores, membros da comunidade cuiteense e de regiões vizinhas. Já o curso de divulgação, Alimentação e cultura: olhares antropológicos, contou com 33 inscritos, em sua maioria professores de universidades de pelo menos três estados – Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco – que estudam alimentação a partir de áreas como: Geografia, Arquitetura, Gastronomia, Artes plásticas, Ciências sociais, Educação e, por fim, Nutrição.

pp

Jesús Contreras em curso de divulgação em Natal/RN

Em ambos os casos tivemos uma grande oportunidade de dialogar sobre temas relativos à nossa área de interesse e de estabelecer redes para troca de ideias e construção de projetos colaborativos.

Foi uma baita semana! Mas, dia 7 já temos mais. O próximo encontro do GULA contemplará duas apresentações e ocorrerá na próxima quinta-feira, às 19:30.

Na primeira delas teremos a mediação de Clébio Lima que trará um pouco sobre a literatura gulosa brasileira do século XX. Já na segunda, teremos Jackson Laurentino, membro do projeto Cinecidadania, que trará um pouco sobre a literatura que virou filme de Como água para chocolate.

Para ter acesso aos textos norteadores, basta clicar nos seguintes links: Texto 1texto 2.

Contamos com a presença de vocês!